Eu digo sim para tudo o que você me pedir a partir de agora. Eu digo sim para tudo lícito e me rastejarei para ceder qualquer súplica que seus olhinhos de desamparo me fizerem qualquer hora do meu dia. Você já tem crédito suficiente comigo para que eu acorde bem cedo, tome seu café com adoçante que eu odeio, dirija seu carro que eu amo até o seu trabalho que você odeia, faça peças administrativas que eu odeio para seu chefe que me reprovou na faculdade, depois lanche qualquer coisa salgada na cantina e fale com seus conhecidos e espere uma mulher sair do elevador primeiro, num gesto cortês que eu fico martelando ter, mas não tenho. Você já tem crédito comigo para que eu pague suas contas, abasteça seu carro com gasolina Podium e não coloque o pneu em qualquer vala. Você já tem crédito para que eu almoce às três da tarde uma comida esquentada no microondas e assista bastante canal de futebol, de tênis, de Fórmula 1, de carros. Você tem bastante crédito para que eu seja gentil com o porteiro, com os transeuntes, que eu ligue para seu melhor amigo e vá jogar Playstation até a hora da academia. Você tem créditos suficientes para me fazer levantar todos os pesos e querer voar para casa para ficar de preguiça assistindo televisão depois de uma ducha fria, tão fria que me congelaria a alma. Você tem crédito comigo para que eu deixe essa barba crescer por que você não gosta de barba, mas ama toda novidade que me pareça cool. Você tem crédito para que eu acorde de madrugada com o humor de quem acabou de chegar à praia. Boa noite, meu Amor, durma bem. Vou trabalhar com uma roupa sua.