Mês: março 2011

Um Texto Novo ♥

Antes dessa coisa toda de moda, de faculdade, de casamento, de amadurecer, de ser feliz para sempre, antes de tudo isso acontecer na minha vida, eu escrevia textos. Há muita gente espalhada por aí que lembra que em meados de 2002 eu comecei a escrever textos de Amor e textos de Desamor e que eu abria meu coração sem dó nem piedade às mais ou menos seiscentas pessoas que visitavam meu blog diariamente. Eu lembro bem que ele se chamava “Ritinha Prado”, era hospedado pelo Blogger, tinha um background preto com letras brancas e o desenho de uma mocinha loira com uma camisa do Paul McCartney. O endereço não existe mais e com ele a “Ritinha Prado” foi embora pra sempre. Naquele tempo eu achava que sabia muita coisa sobre o Amor e pra falar bem a verdade eu achava que tudo em quanto que mexia com o meu estômago era mesmo Amor. Eu tinha 19 anos e uma vontade enorme de viver tudo como seu eu fosse morrer no final do dia e fosse nascer outra no dia seguinte. Em se querer fazer tudo certo é que se faz tudo errado e eu errei muito. Eu errei de alvo, errei de propósito, eu projetei passar aqueles malditos cinco anos vivendo uma vida que eu pudesse imprensar numa lata de sardinha depois. É bem verdade que hoje eu tenha imprensado não só cinco, mas pelo menos quinze anos da minha vida numa caixinha de fósforo, a vácuo, para que em nenhum momento alguma lembrança resolva pular e se desenrolar numa apresentação holográfica gigante na frente dos meus olhos, no meio da sala. A gente sabe que embora a gente tente (e consiga inclusive, na maioria das vezes) quando uma danada dessas resolve te pegar de surpresa o peito explode que parece que vai partir ao meio de tanta tensão. Depois, quando eu resolvi esquecer “o resto da vida” que eu havia projetado quando tinha quinze anos, eu criei o blog “A Dona do Amor”. É de extrema arrogância uma pessoa se intitular dessa maneira. Mas eu fiz. E nesse segundo blog, simples, de fundo branco, letras pretas, hospedado pelo companheiro WordPress e uma foto que eu mesma tirei no topo da página, eu exercitei o ápice da minha criatividade. Eu tinha 22 anos e a cabeça cheia de sonhos renovados. Perdi as contas de quantos textos eu escrevi e quantos eu nem publiquei. Escrever um blog sempre foi mais negativo do que positivo para minha imagem pessoal por que ao tempo em que eu sentia a minha necessidade quase básica de jogar as palavras pra fora, um mundo inteiro queria me fazer engolir com elas as cenas que se passaram num terreno acidentado, cheio de feridas e feridos. Que graças a Deus vieram se curar sozinhas para ambas as partes, sem qualquer esforço nosso. Enfim, nesta terceira fase da minha vida, e eu posso dizer, a melhor de todas que eu pude um dia sonhar viver, eu tenho sentido uma vontade enorme de contar meus causos e ao mesmo tempo, pra quê espalhar tanta felicidade? Agora, nesta fase, meu coração está tão macio e o terreno tão adubado, que as palavras faltam fugir para um lugar que eu só posso achar ser imaculado. E agora eu tenho medo. Quando se é jovem, medo é uma palavra ridícula. É como se abrir meu peito fosse parecer uma versão nova, quando eu finalmente descobri, escondida em algum lugar de outra cidade, a versão original daquele single. Single, único. O blog agora deveria se chamar mesmo “Rita Prado e as histórias de como encontrei o Amor” e de como isso me fez crescer de verdade. Este novo blog seria eu, seria meu, seria como regressar ao lugar onde eu fui mais amada, esperada, desejada. Seria como meus pais me trazendo ao mundo pela primeira vez. Os olhos descobrindo coisas que não estavam ali antes. Seria eu descobrindo que eu mesma não estava ali antes. Seria a melhor faixa do disco, o melhor disco, a melhor dupla. Eu tenho 27 anos e a vida começa agora, quando eu finalmente descobri que felicidade não cabe num post.

Rio de Janeiro ♥

Apesar do medo de voar estar cada dia maior na minha pessoa, viajar ainda continua sendo meu “esporte” preferido. Semana passada viajei a trabalho para o Rio de Janeiro e aproveitei para conferir a cidade que faz jus ao título de “Cidade Maravilhosa”. Não posso negar o quanto eu cantarolei o Samba do Avião e o quanto esse lugar transpira um dos meus gêneros musicais preferidos: a bossa nova.

Recebi indicações ótimas de muitas pessoas via twitter para conhecer vários lugares, mas só tive tempo de ver o básico de todo turista no Rio, ainda assim, me apaixonei. E me senti numa novela do Manoel Carlos! O carioca tem uma cultura muito diferente da cultura do teresinense, vi muitas pessoas fazendo exercícios na praia, mães passeando com carrinhos de bebês, muitos cães (muitos!), salas de teatro lotadas plena quarta-feira, além de muitos outros hábitos saudáveis. Comi no Sushi Leblon o melhor temaki de todos os tempos, caminhei no calçadão de Copacabana, vi artistas na Pizzaria Guanabara e sentei pra namorar na beira da Lagoa.

Assisti uma peça ótima chamada Amores, Perdas e Meu Vestido, com Arlete Salles, Thaís Araújo, Carolina Ferraz e Ivone Hoffmann. A peça foi baseada no livro Love, Loss and What I Wore que conta a história de uma mulher que começa a desenhar seus vestidos, aqueles presentes nos melhores (ou nos piores!), mas inesquecíveis momentos da vida! O texto é ótimo, a Arlete Salles nos faz rir muito e a gente se encontra em cada frase das quatro personagens. Todo mundo tem pelo menos umas dez peças do guarda-roupa que ficarão imortalizados em alguma cena de nossos filmes íntimos, como uma vez aqui mesmo, eu falei do meu Vestido Andie. Teatro é uma experiência única. É o contato direto com a arte da interpretação, em tempo real. Li que a peça fez seu último espetáculo no Rio essa semana, agora é torcer para que a turnê chegue logo ao nosso Piauí. E tem um blog ótimo contando os bastidores da peça aqui. No dia em que eu fui o Marcos Palmeira e a Virgínia Cavendish (muito linda!) sentaram na mesma fileira que eu!

No mais, deixo vocês com algumas fotos que eu fiz desta cidade linda!

Abençoado por Deus e bonito por natureza.

Despedida de Verão ♥

Como passa rápido! Parece que foi ontem que eu mostrei para vocês uma das minhas coleções mais queridas: Despedida de Solteira.

Tudo inspirado nas amigas lindas que me acompanharam até que eu encontrasse o homem da minha vida e me casasse com ele. A Coleção foi inspirada em todas as mulheres que já passaram na minha vida: minhas irmãs, primas, amigas, clientes, companheiras de escola, de balada, de uma história.

Meninas de todos os gostos, estilos e desejos deram nomes às peças dessa coleção de um verão inesquecível. A partir de agora todas as minhas atenções estarão voltadas a uma nova coleção, um novo mundo, um novo conceito, mas que traduz uma pessoa: você, cliente Rita Prado.

Embora a minha inspiração para cores, tecido e olhar mude a cada coleção um sentimento não muda: manter o espírito do nosso Atelier nos mínimos detalhes de nossas peças. Aquele velho objeto vintage, aquela música que nos leva longe ou aquele filme que interagiu com a gente da abertura até os créditos.

E para me despedir, literalmente, do verão de solteira, vesti algumas pecinhas que ainda estão disponíveis aqui na loja e que vão fazer parte da suas melhores histórias com as suas amigas.

Vestido Magda: de tule de malha, super colorido e deixa o corpo super lindo.

Saia Anita & Regata Sílvia: já complementando com os acessórios de inverno da Via Mia.

Vestido Nice: de voil, que você pode usar com um cintinho ou solto mesmo. A estampa é muito linda e delicada.

Vestido Vanessa: de chamois que é muito tendência, este tubinho é peça clássica, pra vida toda!

Saia Lalá & Top Nayana: A Saia Lalá drapeada em três tons de malha fica linda com o Top Nayana que tem mangas ¾.

Vestido Manu: com busto estruturado e saia de voil estampada.

Vestido Melina: em tecido brocado com um pouco de elastano e manga tulipa. Tubinho super arrumado e com preço ótimo!

Camisa Laiane & Saia Summer: Camisa de amarrar, super trend e saia com xadrez pied poule. Esse é para as meiguinhas 😉

T-shirt Bia & Calça Mônaco: Essas peças vocês já tinham visto aqui, mas ainda não tinham visto na cor preto. Ficou tudo muito lindo, né?

Vestido Angelina: de tecido 100% poliéster com a padronagem risca de giz, fica fofo com sapatilha!

T-shirt Bia, Saia Nanda & Casaqueto Janine: pra completar só faltava mesmo este oxford! Sou apaixonada por estas peças!

Aproveite as últimas compras de verão 😉 Lembrando que a maioria destas peças estão com preços promocionais. Corre!