Da minha mãe eu herdei a criatividade. Minha mãe resolve os problemas com criatividade. Dela também veio toda a minha moda. Não existe uma peça de roupa que não me lembre a minha mãe. Vestidos, conjuntos, estampas, crochês, saias longas, roupas infantis, toalha de mesa, fantasia de carnaval, tudo isso eu cresci vendo a minha mãe transformando os sonhos das pessoas nestas peças. Minha mãe sabe fazer tudo. Se amanhã eu quiser fazer alguma coisa que eu não sei quem possa fazer, a minha mãe sabe, minha mãe é a única pessoa no mundo que eu conheço que sabe de tudo, sabe fazer tudo, ela só não sabe dirigir, mas isso, não é nada perto de todas as outras coisas. E se ela disser que não sabe, ninguém acredita, não é verdade. Ela é meu braço direito e esquerdo na loja, na vida e no mundo todo. Minha mãe sabe levar o mundo inteiro nas costas, aquela história de coração de mãe caber tudo, caber todos, caber até gente que não devia caber, mas no coração da minha mãe, só não cabe raiva. Minha mãe perdoa tudo. Eu vivo dizendo que eu só vou pro céu por que minha mãe tem bônus para levar minha família inteira! A minha mãe me deu o primeiro contato com a moda. Era na loja da minha mãe que eu brincava de vendedora de roupas e montava o closet das minhas Barbies com as sobras dos tecidos. Minha mãe me enche de orgulho por que é a única mãe que eu conheço que aprendeu a costurar ainda criança e sem mãe. Minha mãe não teve mãe. E eu não sei como ela aprendeu a ser uma mãe leoa. Para criar os meus filhos eu só preciso lembrar dela, mas mesmo assim, talvez eu não consiga ser a metade. Minha mãe é a minha bússola, meu oráculo. Se eu me desviar de um ensinamento dela, pode apostar, eu me perco. Minha mãe é a dona das idéias geniais, do colo mais gostoso e dos planos infalíveis. É para ela que eu faço tudo, é dela a aprovação que eu preciso e é ela a mulher que eu quero ser quando crescer.