Oi gente! No feriado aproveitei a minha vida ponte-aérea Teresina-São Paulo para receber meu marido na Paulicéia. Fiz uma programação toda fofinha e mandei pro email dele três dias antes, pesquisei eventos, exposições, museus, restaurantes, programas culturais bem diferentes dos de Terehell [abafa!] e começamos na sexta! Hoje vou falar desse dia!

De manhã fomos ao Museu do Futebol. De futebol eu só entendo que a Copa só acontece de quatro em quatro anos, então meio que passo quatro anos sem pensar em futebol na minha vida, mas, a gente faz qualquer coisa pela pessoa que a gente ama e… me surpreendi!

 

 

Não pode tirar fotos dentro do Museu e eu sou uma pessoa que segue regras. O que quer dizer que fiquei chocada com a quantidade de gente que tira fotos escondido no celular, me poupe, né? Não entendo o fato de não poder tirar fotos nem com flash e alguns museus que visitei aqui no Brasil. Na Europa pude tirar fotos de tudo! Vai entender… Enfim, amei o acervo fotográfico do Museu! Tem uma salinha cheia de fotos desde o começo do século XX que localiza historicamente a chegada o futebol no Brasil. Me contive muito para não fotografar, mas achei umas imagens dessa sala, cheia de molduras lindas, no site do Museu.

Outro aspecto negativo foi a falta de acervo. Sentimos (muita) falta de objetos que contam a história, não réplicas. O Museu é todo bem interativo, logo é cheio de tecnologia, informações e curiosidades, mas eu quero chegar no Museu do Futebol do Brasil e ver todas as camisas desde a primeira seleção. Não vi nada, nem camisa, nem bolas de jogo importantes, doação de jogadores etc.

Mas a vale a pena a visita e eu adorei o passeio, o Museu é bonito e dinâmico, não tem perigo de ninguém ficar entediado!

Depois do Museu do Futebol corremos até o Memorial da America Latina para ver os famosos painéis de Portinari: Guerra e Paz. Que foram criados em 1952 e 1956 encomendados pelo governo brasileiro para a sede da ONU em Nova York. Além dos painéis, a exposição histórica dos murais em São Paulo, traz também os estudos preparatórios do artista, mas essa parte eu não vi por que cheguei perto de fechar, então corri para o Guerra e o Paz.

 

 

Fantásticos! Gigantes, 14 metros de altura por 10 de largura. Enorme a genialidade do artista e olhar essas obras de perto foi muito emocionante! O Memorial é uma atração encantadora, como toda obra de Niemeyer. Fica a dica para quem visitar São Paulo.  A exposição Guerra e Paz já atraiu mais de 100 mil visitantes e fica até 24 de abril, tá?!