Aragem01

Em abril do ano passado o veleiro Aragem sentiu o gosto d’gua pela primeira vez. Pra você que está chegando agora na minha vida, Aragem é o nome do barco que meu pai construiu no quintal de casa, literalmente. Eu já escrevi sobre ele no meu blog antigo. E hoje vim mostrar mais um pouquinho desse sonho.

Meu pai começou a construir o Aragem, seu terceiro barco, em março de 2004. Enquanto meu pai construía o Aragem eu me formei em Direito, eu passei no Exame da Ordem, eu criei o Atelier Rita Prado, eu fiz muitas amizades, eu me formei em Design de Moda. Enquanto meu pai fazia o barco eu conheci Ricardo, eu me perdi de Ricardo por quase três anos, eu reencontrei Ricardo, eu casei com Ricardo, eu fiz bodas de papel com Ricardo. Enquanto meu pai construía seu barco, eu construí a Rita Prado, a designer, a loja, o Atelier, a empresária, a patroa, a estudante de moda, a nossa marca. Muita coisa aconteceu na minha vida em oito anos, mas independente do que acontecesse, meu pai estava diariamente entretido em dar forma ao seu projeto de vida: um veleiro lindo e imponente chamado Aragem.

Eu estava morando em São Paulo quando foi definido o grande dia de tirar o Aragem do berço, para que ele andasse com as próprias pernas e sentisse pela primeira vez o gosto da água. Vim correndo e faltei aula do Mestrado por que não podia perder esse que era um dos momentos mais importantes da nossa família. Um sonho que se sonhou junto.

Absolutamente tudo foi planejado e organizado por ele e tivemos ajuda de familiares e amigos próximos, além de alguns transeuntes muito solidários que apareceram em alguns momentos para ajudar. Foi um sonho da família e de alguns anônimos que acompanharam sua construção pelo site. Tivemos que derrubar o muro da minha casa para que ele saísse e ganhasse o mundo e deu tudo perfeitamente certo.

O Aragem tomou o seu primeiro banho e banhou os olhos de quem por ali passava. Meu pai superou dois rios inavegáveis e a completa falta de estrutura ou apoio por parte de qualquer secretaria do meu Estado e da minha cidade, uma pena, um desafio. Um sonho que se sonha só e que se realiza a custo próprio. Esse gosto é genuíno e intenso, só quem vive é que sabe.

Separei algumas fotos desse dia inesquecível para minha família, não consigo sequer escrever sobre, enfim, dizem que imagens falam mais que palavras, então, vamos lá:

 

Sem título

 

Sem título

Sem título

 

Sem título

 

Sem título

 

Sem título

Sem título

 

Sem título

 

Sem título

 

Sem título

 

Sem título

 

IMG_5448b

 

IMG_5506b

 

Sem título

Para mais fotos do primeiro dia do Aragem na água, você pode acessar meu Flickr ou o próprio site do Aragem, que é uma espécie de Diário de Construção do veleiro.