Regata Branca, como usar?

Olá Queridos,

Já pararam para pensar em todas as possibilidades de uma regata branca no nosso guarda-roupa perfeito? A regata branca ficará bem, por exemplo, com calças jeans, calças pretas, calças de alfaiataria, calças coloridas, justas ou folgadas. Vamos ver algumas ideias?
Uma regata branca também ficará incrível com bottom (parte de baixo) na cor branca, dependendo da escolha da peça, ganhará um ar de modernidade. Em dias mais quentes ou para um visual mais despojado, vale combinar com shorts, sejam eles jeans ou de tecidos mais sofisticados como shantung, seda ou tafetá.
Para propostas ainda mais sofisticadas vale usar a regata branca com sobreposições (blazeres, coletes, cardigans, casacos ou boleros), com saias mais arrumadas ou com acessórios de efeito. 

Regata Branca, anatomia.

Adoro regatas. De todos os tipos e tecidos! Na minha experiência como designer, percebi que as pessoas não gostam tanto daquelas regatas mais tradicionais, de malha canelada. É que, antigamente, esse tipo de malha, não continha uma pequena porcentagem de elastano em sua composição e a tendência era ceder ao longo do dia. Logo a regatinha ficava folgada e estranha no corpo, fazendo com que as pessoas até esquecessem dela por um tempo. Depois surgiram as regatas feitas de malha tipo “radiosa”, que é uma espécie de fibra celulósica torcida que dá um aspecto seco e natural, parecido com o do crepe, mas aliada a versatilidade da Lycra. As malhas caneladas de hoje também possuem elastano na composição e, até as regatas com composição 100% algodão, estão mais ajustadas, em razão de como o tecido é trançado. Bom, o fato é que hoje a regata se tornou uma peça ainda mais versátil, com modelagens que agradam todos os tipos de corpos. E, por esse motivo, ela deve ser peça presente nos nossos guarda-roupas, viu?

Camiseta Branca, anatomia.

Mais do que uma simples camiseta, a camiseta branca pode aparecer de várias formas diferentes. A quantidade de elastano na composição do tecido ou o uso de fibras como poliamida ou viscose, fará com que ela tenha um melhor caimento, amasse menos ou proporcione mais conforto. A dica antes de comprar é sentir o tecido, experimentar, mexer os braços, andar e fazer movimentos buscando esquecer a roupa, se ela estiver tão bem ao ponto de você não notar a presença dela no corpo, é por que está perfeitamente confortável. Mas atenção, o bem estar aqui é relativo. Por exemplo, a vida inteira ouvi meninas reclamando que não poderiam usar decotes mais subidos por terem busto grande. Eu, particularmente, acho mais bonito esse tipo de decote em mulheres com busto de médio a grande, mas também acho interessante valorizá-los com um decote em forma de “V”. O importante é que esta peça é realmente democrática e relativamente fácil de ser encontrada por que é produzida sempre, independente de coleção. A camiseta branca é a peça que mais ajuda na hora de qualquer indecisão quanto à parte de cima do look, é o ou não é? Para um visual “hi-low“, que consiste em usar uma peça mais sofisticada (high) com uma peça mais simples e barata (low), é a camiseta branca a dona dos melhores looks. Abaixo, um quadro com a “anatomia” das mais comuns. Confesso que não sei decidir a minha preferida, na dúvida, tenha pelo menos dois desses modelos para um guarda-roupa perfeito.

 

Regata Branca, algumas histórias.

 

Olá Queridos,

Hoje vou começar a contar um pouco da minha relação com a Camiseta Regata Branca. Antes de começar, preciso explicar que essa nomenclatura “regata” significa, em português, uma prova náutica de velocidade. Acredito que o nome está associado à esse tipo de camiseta, com alças estreitas e decote cavado, pela relação com o esporte. É muito mais fácil fazer qualquer movimento com os braços usando uma regata do que uma camisa de mangas, certo?

A imagem mais antiga que vem à minha mente é a da escultura de mármore, “O Escravo Moribundo” de Michelangelo, que eu visitei no Louvre, em Paris. A escultura data de 1513-1515 e é uma representação anatômica perfeita do corpo masculino. Sabe-se que a camiseta surgiu ainda na Antiguidade. Era feita de linho e usada por romanos para conter a transpiração por baixo das túnicas. Ela era uma espécie de “roupa de baixo” para evitar que a peça de cima, muito mais “pomposa” sujasse. Durante muito tempo, a camiseta regata foi utilizada somente com essa função.

No século XVII ela passou a ser usada como roupa de esporte por que facilitava o movimento do braço. Soldados americanos e europeus começaram a usar as camisetas com malha de algodão por baixo dos uniformes durante a Primeira Guerra Mundial. A “regatinha” foi, aos poucos, ganhando visibilidade como “peça de cima” e ficou ainda mais famosa quando o ícone sexual masculino, Marlon Brando, usou no filme “Um Bonde Chamado Desejo” (1951). Não preciso dizer que não demorou muito tempo até a que alguma mulher olhasse para a camiseta do marido decidisse usar por um dia. Sabe-se que isso aconteceu na década de 1970 e a gente agradece até hoje!

O “Tank Top”, “A-shirt” ou “Vest”, nomenclaturas que variam dependendo da modelagem,  hoje é feita de diversos tipos de malha, lisa ou canelada, e utilizada em propostas das mais diversas também para o guarda-roupa feminino. Ansiosa para mostrar tudo! Separei algumas imagens icônicas dessa peça que graças a Deus transita no guarda-roupa feminino e no masculino com facilidade. E, dependendo de como a gente usa, pode denotar diferentes adjetivos.

Essa é a terceira peça de roupa do nosso guarda-roupa perfeito. Vai dizer que você já não teve uma?

TankHistory.jpg (603×483)