5 filmes sobre: tempo.

Se tem um assunto que tem me chamado atenção nos últimos dias, esse assunto é o tempo. Quanto mais penso sobre ele, mais vejo que não posso colocá-lo num altar sagrado. O tempo não deve ser divino. Não no sentido de atribuirmos a ele uma superioridade máxima. O tempo não merece isso tudo e eu ando mesmo é brava com ele. Quanto mais eu gasto minhas horas pensando nele, mais ele caçoa de mim, tem algo engraçado nisso? Aproveitando o tempo que tenho livre para me entender/curtir/fazer um estudo de mim, dissociado da parte esposa, companheira, gêmea de alma etc que exerço todo dia, resolvi assistir 5 (cinco) filmes que tratasse do tempo com uma pegada metafórica. Vou contar sobre eles agora. Então, lá vai, cinco filmes sobre o tempo:

#1: About Time (2013)

De todos os filmes assistidos esse é o mais recente. Já tinha visto o trailer no cinema, mas esqueci de procurar depois. Filmes que se passam em Londres têm meu coração nas mãos (“vamos lá no cartório passar ele pro seu nome…“). Um jovem inglês, ruivo (ai…) tem o poder de voltar no tempo. Chorei mais do meio pro final. Chorei bastante, mas não é de chorar tanto, é que devo estar mega sensível esses dias. Separei algumas cenas lindas, vamos ver?

AboutTime02

AboutTime01

E, como não poderia faltar, uma das falas mais bonitas do roteiro: “And in the end I think I’ve learned the final lesson from my travels in time; and I’ve even gone one step further than my father did: The truth is I now don’t travel back at all, not even for the day, I just try to live every day as if I’ve deliberately come back to this one day, to enjoy it, as if it was the full final day of my extraordinary, ordinary life.”

#2: Somewhere in Time (1980)

O segundo filme que eu assisti veio literalmente do túnel do tempo. É um filme clássico da década de 1980 e eu fui com muita sede ao pote. Minha irmã disse que era o filme da infância dela e tenho uma vaga lembrança das pessoas falando muito bem, mas sinceramente: meio bobinho. A história é boa, mas a execução é fraca. Os atores são meio robóticos, os recursos etc. Tudo bem que era o começo do anos 1980, mas quando comparo aos outros da época, acho ele fraco. Mas é bom assisti para ter sua própria impressão. O ator é o mesmo de Superman, lindo é pouco para ele, mas prefiro ele de Clark Kent mesmo. O filme começa na década de 1970 e passa a maior parte dele na década de 1910. O figurino é ok, a fotografia deve ter sido bem elogiada na época, poderia fazer uma coleção inteira só com as cores. Ah, e se um dia eu for no Michigan, me hospedarei no hotel cenário do filme. Vejamos algumas cenas belas:

Somewhere00

Somewhere01

Minha fala preferida no filme, claro: “The man of my dreams has almost faded now. The one I have created in my mind. The sort of man each woman dreams of, in the deepest and most secret reaches of her heart. I can almost see him now before me. What would I say to him if he were really here? “Forgive me. I have never known this feeling. I have lived without it all my life. Is it any wonder, then, I failed to recognise you? You, who brought it to me for the first time. Is there any way that I can tell you how my life has changed? Any way at all to let you know what sweetness you have given me? There is so much to say. I cannot find the words. Except for these: I love you”. Such would I say to him if he were really here.” Essa fala é muito muito minha vida.

#3: O Homem do Futuro (2011)

O único nacional da lista! Adoro o Wagner Moura, sem dúvida um dos melhores atores brasileiros! Amei esse filme sobre um cara que consegue voltar no tempo para encontrar aquela que seria o amor da sua vida. Tem uma trilha sonora ótima! Separei algumas imagens e as  mais belas são as do casal. A Alinne Moraes é muito fotogênica! Gostei de váaaarias frases, mas dessa em especial: “Você vai ter que ser forte. Vai doer. Mas você vai aguentar. Não tem jeito: não há vida sem problemas. Desejar uma vida sem problemas é desejar estar morto.”

Ohomemdofuturo

#4: Peggy Sue Got Married (1986)

Esse filme é um filme despretencioso do diretor Francis Ford Coppola, tem no elenco gente como Nicolas Cage e Jim Carrey, ambos bem novinhos. E, ainda mais novas: Helen Hunt e a diretora Sophia Coppola. Peggy Sue é uma mulher prestes a se divorciar, que volta ao passado e tenta mudar o rumo das coisas. O sonho de muita gente, né?Mas a lição do filme é muito boa. O filme é bem legal, gostei muito do figurino! Separei algumas cenas:

E uma fala da Peggy que diz: “Charlie, it’s like there’s this window into my heart and you can open and crawl in whenever you want. Well, I’ve got to close it or nothing is ever going to change.”

PeggySue01

PeggySue02

#5: Pleasantville (1998):

Esse filme não é só uma viagem ao tempo, mas os personagens vão parar numa série de tv em preto e branco. A grande questão do filme é que as mudanças introduzidas pelos personagens àquela realidade vai transformando as cores das pessoas e coisas. A trilha é ótima e a fotografia não preciso nem dizer! Minha frase preferida:”Must be awfully lucky to see colours like that. I’ll bet they don’t know how lucky they are.

Pleasant01

Esses são os filmes que assisti de sexta-feira para cá, mas existem muitos outros sobre viagem no tempo que são especiais para mim, além do primeiro dessa lista que eu já amo muito, claro!

tempo01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *