Categoria: baú de referências de moda

Big Little Lies | Primeira Temporada

( contém spoilers! )

Terminei a Primeira Temporada de Big Little Lies. Digo primeira temporada, com a esperança de existir uma segunda, embora ela não tenha sido criada com esse intuito. Big Little Lies foi criada a partir do romance da australiana Liane Moriaty. Eu comecei a assistir a série original da HBO por acaso. Não cheguei a ler nada a respeito, mas foi amor à primeira vista!

A abertura já é uma mini-apresentação dos personagens principais: as mães e seus respectivos filhos. A primeira cena apresenta a investigação de um assassinato cujo morto só se descobre quem é, nas  últimas cenas do último capítulo da temporada, sorry. As cenas do elenco de peso (nomes como Nicole Kidman, Reese Winterspoon, Shailene Woodley, Alexander Skarsgård e Laura Dern) são intercaladas com depoimentos de personagens secundários, ajudando o telespectador a compreender as características de cada personagem.

A série trata da vida doméstica desses personagens. Mentiras, romance, violência, traição, moral e culpa são algumas das questões levantadas em cada episódio.

Me identifiquei um pouco com cada personagem, mais com umas do que com outras e amei muito a garotinha que interpreta a filha da Reese.

Tem o meu respeito uma série cujo ápice das personagens acontece com elas vestidas de Audrey Hepburn em vários filmes diferentes.

 

As personagens da Nicole Kidman e da Shailene Woodley usam o clássico tubinho preto do filme “Bonequinha de Luxo” (1961). Esse é um dos figurinos mais icônicos da Audrey e do cinema! Mas eu particularmente, já abusei um pouco dele. Esses anos todos trabalhando com moda, já vi essa imagens mais de mil vezes, então não me encanta mais.

Do mesmo filme e na minha opinião, o mais interessante de todos, está o figurino da personagem da Reese Winterspoon no episódio final da série. Essas peças me representam muito mais e as cenas originais da Audrey no filme, também!

A personagem interpretada por Zoe Kravitz, usa um figurino incrível inspirado no filme “My Fair Lady” (1964).

Outro figurino importante do filme “My Fair Lady” é usado pela personagem da Laura Dern. Espetacular!

Algumas personagens coadjuvantes usam figurinos inspirados noutros filmes, mas não encontrei imagens da série para ilustrar. Um figurino maravilhoso, de um filme igualmente maravilhoso, é esse:

Esse é um figurino do filme “Funny Face” (1957), tem 60 anos, mas é super atual! Vestiria fácil!

Ah, os personagens masculinos, nessa mesmo episódio de Big Little Lies,  estão vestindo fantasias de Elvis Presley em vários momentos da carreira!

E você, ficou curioso sobre a série, sobre os filmes ou sobre os dois, hein?

 

Nova Estampa: Surrealismo Sertanejo

Quando penso num movimento artístico que explique a minha inquietação enquanto designer, eu penso no Surrealismo.  O Surrealismo foi a corrente artística moderna da representação do irracional e do subconsciente. Surgiu na década de 1920 e passeou diversas vezes na moda. Tanto a Arte quanto a Moda e o Design existem em razão da necessidade de expressão do ser inquieto, questionador e sonhador que é o homem. E o que é o meu subconsciente se não um sonho genuinamente sertanejo? No meu sonho tem os lábios da Mae West (assim como no sofá de Dali), mas agora com a cor dos meus lábios encarnados. Tem uma pegada rosa da paixão da estilista Elsa Schiaparelli. Tem as repetições das obras de Rene Magritte e o olhar lacrimal das fotografias de Man Ray. No meu sonho, a lágrima se confunde com o pingo d’agua que não cai do céu no sertão. O mandacaru brilha verde aonde não há cor. O forró e o canto do bem-te-vi me lembram que eu sou daqui, mesmo que não tenha vindo para ficar. A essa mistura dou o nome de Surrealismo Sertanejo, minha nova estampa, meu Eu estampado, minha caatinga colorida, minha arte ressecada.

IMG_6675

Confira algumas referências para a criação desta estampa no Pinterest:

Siga a pasta Surrealismo Sertanejo de Rita no Pinterest.

#tbt Fashion Rules

O #tbt de hoje é mágico! Há dois anos quando estive em Londres pude visitar a exposição Fashion Rules no Kensington Palace. O Kensington Palace era a residência do casal Princesa Diana e Príncipe Charles e fica colado em um dos parques mais lindos do mundo: o Hyde Park. Além da exposição Fashion Rules, há também uma exposição sobre a Rainha Vitória com uma curadoria incrível! Noutro momento trago as fotos dela! Hoje trouxe algumas peças lindas que brilharam dos anos 1950 a 1990 na realeza britânica.

Esse vestido maravilhoso de cetim com bordados, foi usado pela Rainha Elizabeth em 1963.

Detalhe de um vestido de cetim com renda usado pela Rainha Elizabeth no começo dos anos 1950.

Vestido usado pela Rainha Elisabeth, em 1951, de organza na cor cinza com bordados florais e laços em tons de rosa.

Vestido com detalhe de cascata ou jabô em verde na saia, bem moderninho para a Rainha, hein? Usado em 1961 em visita ao Paquistão.

Em visita à Austrália, no começo dos anos 1970, o estilo da Rainha também aderiu à moda dos fluidos e amplos.

Além de peças da Rainha Elizabeth, a exposição também mostrou peças icônicas usadas pela Princesa Diane e pela princesa Margareth (1930-2002), irmã da Rainha. Ambas são filhas do Rei George VI, que vocês já devem conhecer do filme “O Discurso do Rei” (2010).

Esse vestido de tule com cristais bordados em formato de estrelas, foi usado pela Princesa Diana, em Londres, no famoso Hotel Claridges para um jantar com o então presidente da Grécia, em 1986. Ele é a cara do anos 1980: brilho, tule e cores.

IMG

Esse vestido de crepe off-white bordado de paetês foi usado pela Princesa Diana em 1991, para uma visita ao então presidente do Brasil: Fernando Collor de Melo.

Esse vestido de gazar com bordados riquíssimos a Princesa Margaret usou em 1977, numa apresentação da banda ABBA como parte das comemorações do Jubileu de Prata da Rainha Elizabeth.

E, para finalizar esse post inspirador, o vestido preferido dessa exposição. Ele foi usado pela Rainha em 1958 e como, a maioria dos vestidos deste post, de criação do estilista inglês Hardy Amies (1909-2003).

Aqui uma foto mais detalhada (essa peguei na Internet!):

Não preciso dizer o quão emocionada fiquei ao ver de perto esses vestido que eu só conhecia de revistas. Sou uma apaixonada pelo Reino Unido, pela família real e pelo tradicionalismo britânico. O modo como os inglês defendem e preservam seu patrimônio histórico-cultural é inspirador!

Ah, aqui o link para um blog que também dá um depoimento interessante sobre a exposição, vale a pena ler!

Assinatura Rita.

Adrien Brody e Natalia Vodianova para Vogue América

1 (2)

Editoriais de moda, quando bem feitos, nos enchem os olhos e dificilmente os esquecemos. Por essa razão  trouxemos o editorial da Vogue US do mês passado, L’Amour Toujours, que mostrou a top russa Natalia Vodianova e o ator hollywoodiano Adrien Brody em um final de semana glamuroso na Riviera Francesa.

As fotografias espelham Bardot & Vadim – com uma pitada de Wes Anderson – moduladas no estilo vintage para mostrar as coleções de outono – podemos conferir no editorial peças de Miuccia Prada, Dolce & Gabanna, Oscar de la Renta, Louis Vuitton, Dior, Chanel, Gucci, entre outros. Adrien e Natalia se colocaram na posição da fotografia do icônico Peter Lindbergh e do styling da queridíssima Grace Coddington. Observem as fotos:

Belísimo, não?Assinatura Paty.