love & mercy (2014) | the beach boys.

 

love_mercy-618914264-large

 

Esses dias assisti um filme muito bom: Love and Mercy. Há tempos tinha visto o trailer no Youtube (entre os passatempos favoritos!) e como sou fã de biografias, fiquei contando as horas para chegar no Net Now. Esse filme conseguiu reunir muitas das minhas paixões: biografias, música, cinema, figurino e anos 1960.

Sou fã do The Beach Boys, como já falei aqui. O filme trata da personalidade excêntrica e atormentada do líder da banda, o genial Brian Wilson. O Brian Wilson é um dos melhores músicos vivos, mas uma pessoa cheia de peculiaridades. O filme mostra um pouco do que esse cara fez pela música e das inovações da banda que reverberam por várias gerações depois.

 

 

O figurino é excelente e ajuda a localizar o espectador na história que se passa em duas décadas diferentes: a de 1960 e a de 1980. No elenco temos John Cusack, Elisabeth Banks, Paul Giamatti e Paul Dano, que dá um show de interpretação com o personagem de Brian nos anos 1960.

 

 

Se você ainda não conhece a banda, comece agora mesmo a entender a contribuição do The Beach Boys para tudo o que a gente escuta de bom hoje. Separei alguma das minhas músicas preferidas:

  1. God Only Knows, criada em 1966 para o antológico disco Pet Sounds, foi uma das primeiras que eu ouvi. Acho que essa é a minha música preferida, inclusive numa lista que inclui todas as músicas dos Beatles. Entrei no meu casamento com o grupo Ockteto cantando essa música para eu encontrar o meu marido com os olhos marejados. A cena que explica essa canção no filme, é linda!

P.S.: Uma versão lançada há quase dois anos pela BBC reuniu grandes nomes da música (a maioria inglesa) para esse clipe lindo:

2. Don’t Worry Baby, de 1964 foi a primeira música do The Beach Boys que eu escutei na vida. Sabe aquelas músicas “amor à primeira ouvida”? Eu me lembro exatamente da primeira vez que eu ouvi. Se forçar muito e buscar nos meus diários eu defino exatamente o dia e a hora. Por ora, posso dizer que ouvi em 2002. Eu sei, é uma vergonha. Não sei aonde eu estava que não havia ouvido antes. Depois ganhei um cds, desses especialmente compilados, com outras três músicas, me apaixonei perdidamente pela banda.

P.S.: Infelizmente, a qualidade das imagens, não é boa, mas a cena da gravação desse clipe, também está no filme!

3. Good Vibrations, de 1966 é uma das músicas mais animadas do grupo. O vídeo é de 1968, mas a energia é a mesma. Eles receberam uma cartão de Paul e John parabenizando o grupo pela música! Em 2005, a Revista Rolling Stones divulgou um ranking com as 500 melhores canções de todos os tempos, Good Vibrations ficou em 6o. lugar, tá?

4. Wouldn’t be nice, lançada em 1966, também parte do disco Pet Sounds, é uma das músicas mais repetidas em trilhas sonoras de filmes fofinhos. A primeira vez que apareceu foi no filme Shampoo (1975) que já está na minha lista de pesquisa de figurinos nos anos 1970; depois foi a vez de Um Verão Muito Louco (1986), Jonh Cusack nem imaginava o que viria anos depois; também aparece num dos primeiros documentários de Michael Moore, Roger e Eu (1989); depois Sleepers (1996) e Como se fosse a primeira vez (2004).

Achei esse vídeo de uma apresentação da banda no LiveAid, um dos eventos musicais mais importantes que aconteceram na década de 1980.

5. In My Room é uma música de 1963 que foi escrita em uma hora. Fala sobre o mundo particular que cada um criamos em nosso próprio quarto ou num lugar só nosso. Eu entendo como uma canção sobre solidão, incompreensão e resguardo. Cada uma interpreta a sua maneira.

 

Para finalizar, uma imagem do Brian Wilson com o elenco que interpreta a banda The Beach Boys no filme Love & Mercy (2014):

 

BrianWilson

 

Um filme costurado com essa trilha sonora só poderia render gratas doses de emoção. Segura o choro!

Top 10: Bandas de Rock.

E hoje é do Dia do Rock! Tive um dia cheio, mas não poderia passar a data de hoje sem pensar, ouvir, dançar, celebrar o meu gênero musical preferido: o rock and roll. Pensando nisso nasce a minha primeira lista de Dez Melhores Algumas Coisas. Adoro fazer listas e fazer essa foi até fácil. Então aumenta o som que lá vem o meu:

Top 10: Bandas de Rock.

#10 – Wings – a banda que Paul McCartney montou com sua mulher Linda depois dos Beatles.

#9 – U2 – a banda que mais traduz nosso momento.

#8 – Coldplay – por que as baladas dela são as melhores.

#7 – The Doors – músicos incríveis juntos.

#6 – Foo Fighters – o melhor show de rock na atualidade.

#5 – Queen – perfeição sonora.

#4 – Led Zeppelin – meu coração falta pular da boca.

#3 – Rolling Stones – pela história e pelo som.

#2 – The Beach Boys – os melhores vocais.

#1 – The Beatles – acredito que essa seja  a número #1 de todas as pessoas do mundo, né?

Fiz uma playlist com algumas músicas de cada banda para vocês curtirem em casa:

Essas são as minhas preferidas. Lógico que existem muitas outras bandas que também gosto muito e que podem até ser mais importantes para o cenário do rock, mas música é para arrepiar. E para essas bandas não tenho hora, nem lugar para ficar arrepiada e com vontade de cantar, dançar, etc.

Quero saber o Top 10 de vocês.

Kirsten Dunst & Mark Ruffalo em Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembrança.
Kirsten Dunst & Mark Ruffalo em Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembrança.

 

Trabalho de Conclusão de Curso ♥ Faculdade de Moda

Estou no melhor momento da minha vida. O sonho da Faculdade de Moda, é algo bem antigo, bem antes de me formar em Direito e exercer a profissão de advogada. Sou formanda da primeira turma da primeira faculdade de Design de Moda do Piauí e isso merece um post mega especial no final de julho que é quando eu vou receber o canudo.

Essa semana encerramos nossas vidas acadêmicas na graduação de Design de Moda da Faculdade NOVAFAPI com a apresentação de dois dos trabalhos mais importantes que tivemos no decorrer do curso.

O primeiro trabalho foi o planejamento completo de uma coleção, que inclusive vou utilizar de toda a pesquisa feita para a nossa coleção de verão, que já começou a ser produzida no Atelier 🙂

O segundo trabalho era um projeto de moda. Uma mini-coleção com o tema Etnia. Cada aluno escolheria uma etnia para desenvolver o subtema, que no meu caso, foi a Inglaterra. A etnia inglesa há muito tempo me fascina, mas tudo começou com a melhor banda de todos os tempos, a inglesa, The Beatles. Assim, o tema da minha coleção acabou virando os 50 (cinquenta) anos do bom e velho rock and roll inglês cujos representantes levam a bandeira da nação aos quatro cantos do mundo.

Desenvolvi seis looks inspirados em seis bandas inglesas: The Beatles, Rolling Stones, Queen, Iron Maiden, The Cure e Arctic Monkeys. Cada uma na sua década, imprimindo sua atitude não só na música, como no modo de agir e vestir de fãs de todo o mundo.

Juntamente com a pesquisa das bandas, fazendo uso de todo material possível, de performances ao vivo a blogs de rua todos ingleses, associei o visual carregado do roqueiro à leveza da estampa polka dots, “a estampa de bolinhas” que invadiu os armários dos ingleses muito antes de vestir o resto do mundo.

Vamos ver os looks?

A primeira banda, a banda do meu coração, que me inspira todos os dias com suas letras e imagens dos muitos livros que não canso de repetir, foi homenageada com um terninho fofo, com spencer forrado de polka dots preto com branco, uma camisa de tecido branca e uma gravata, também polka dots. Nos pés, oxford e meia preta. A guitarra de feltro em forma de broche é criação da Chiquita. Para apresentação contei com a modelo exclusiva do atelier Amanda. Linda!

A segunda banda, os Stones, também entre as mais mais do meu coração, ganhou uma camiseta com uma releitura da famosa boca, uma echarpe atoalhada nas cores da bandeira do Reino Unido e uma calça preta skinny super baixa, como Mick adora. Nos pés tênis branco. A headband como o nome “London” é da Chiquita. Para apresentação, a irreverente Cafira, amiga dos tempos em que eu era modelo, que encarnou muito o espírito Keith Richards e divertiu a banca. Adorei!

A terceira banda, o Queen, está representado pelo visual physical que invadiu os anos 80, calça branca com listras vermelhas nas laterais, uma regata com um broche de coroa de feltro e um lenço no pescoço na estampa polka dots. Nos pés, All Star branco. Para apresentação, a elegante Ana Lu, encarnou o performático Freddie Mercury.

A quarta banda, o Iron Maiden, tem casaqueto e bermuda de couro com recortes drapeados na laterais e uma camiseta com a releitura do mascote da banda Eddie que teve suas bandagens estampadas de bolinha. O colar de guitarra e pérolas é criação exclusiva da Chiquita. Nos pés, uma bota de couro de cano médio, incorporando o elétrico Bruce Dickinson. Para nossa apresentação, a meiga Beatriz, transformou-se na ousada Alice Dellal.

A quinta banda, a gótica The Cure foi recebeu um look sombrio com uma camisa preta com detalhe em polka dots e uma legging drapeada. Nos pés oxford de couro alto. A banda foi representada pela modelo Renata que encarnou o visual Robert Smith, o avô dos emos.

A sexta e última banda que serviu de inspiração foi uma das minhas preferidas da atualidade, o Arctic Monkeys. Para compor um visual indie: uma camisa branca com botões pretos, um plush de veludo com capuz em polka dots e uma calça preta pespontada de branco. Nos pés, uma botinha de cano curto. A apresentação foi encerrada com muita atitude pela platinada Mara.

A apresentação teve como trilha a música mais rock and roll dos Beatles, Helter Skelter. E eu queria aqui agradecer à minha mãezinha que me ajudou na elaboração das peças, minhas costureiras queridas do Atelier Rita Prado, à Camila, minha assistente que quebra muitos galhos, às professoras Gisela Falcão, Katya Ferraz e Rimena Canuto pelo incentivo diário, às amigas e clientes que compareceram ou torceram, ao meu companheiro de todas as horas, Ricardo, a minha amiga Marielle, da Chiquita, que confeccionou os acessórios, às modelos lindas que participaram da apresentação e ao Denis Coulter e equipe mara, responsáveis pela beleza.