Coincidência Fashion ♥

Coincidências acontecem toda hora na nossa vida! E quando se fala de moda então, essa palavrinha gera uma polêmica danada! Então, antes de dizer que x ou y copiou o modelo z, verifique as fontes.

Em relação a modelagem, que é o esqueleto da peça de roupa, tudo o que se puder imaginar já foi inventado por alguém no século XIX ou XX. Quando eu falo tudo, é tudo mesmo: mangas, comprimentos, padronagens clássicas, decotes, combinação entre cores etc. Então, o que as pessoas fazem hoje nada mais é montar partes soltas de um gigante quebra-cabeça, para fazer isso elas fazem uso de inspirações.

E frequentemente, na busca de inspirações para essa montagem alguém acaba esbarrando na inspiração perdida de outrem e assim surge: a coincidência fashion!

Desse jeito não tem como dizer se alguém copiou alguém, até por que  “ninguém inventou a roda”! Por exemplo, quem inventou a mini-saia nos anos 60: Mary Quant ou André Courrèges? Ou será que os dois, diante do mesmo contexto histórico e referências, não tiveram a mesma idéia paralelamente?

Karl Gustav Jung, o criador da psicologia analítica, definiu a camada mais profunda da psique como inconsciente coletivo. O inconsciente coletivo  é aquela idéia armazenada “no fundo da alma” e que por incrível que pareça, é comum a todos os seres.  Isso acaba gerando aquela nossa estranha sensação de deva ju quando vê alguma coisa parecida com outra (também armazenada “no fundo da alma”).

Então, pode ter certeza de que sua idéia está no ar, junto com as idéias de outras pessoas. Aqui e do outro lado do mundo, duas pessoas que nem se conhecem estão tornando realidade duas idéias geniais e ops! idênticas! E esse paraíso (ou limbo, dependendo com contexto) chamado inconsciente coletivo não deixa de aparecer nas criações de moda.

Bom, mas esse papo filosófico a gente pode aprofundar quando você vier na loja [adoro conversar de assuntos menos comuns da moda com minhas clientes] por que a coincidência fashion da semana foi o vestido que a Fernanda Lima usou ontem no Programa Amor e Sexo. Choveu mensagens no meu email, twitter, facebook, celular e etc rs. de meninas dizendo que acharam muito parecidos o meu humilde vestido de casamento e o vestido do baphônico Yves Saint Laurent.

 

 

O vestido do Yves é um vestido da década de 80 garimpado no brechó Minha Avó Tinha, em São Paulo. Ambos os vestidos são de poá e diferem muito pouco pelo drapeado no corpo e no caso do meu uma duas saias sobrepostas. O stylist do programa sempre leva umas coisas incríveis para Fernanda vestir e ela deixa todas as peças muito lindas com seu shape invejável, eu não perco um!

O que eu quero dizer com tudo isso é que se me casamento fosse daqui uns meses alguém do tipo bem venenoso ia dizer que eu “copiei” o magnânimo Yves, que Deus o tenha! Mas que bobagem seria dizer isso não é? Até por que procurei infinitamente o vestido nos arquivos das Revistas mais especiais dos anos 80, para postar aqui para vocês e não achei nada! 🙁

Então, vamos guardar o veneno para soltá-lo nos absurdos da moda, tipo isso, tá?

3 thoughts on “Coincidência Fashion ♥”

  1. Assisti o programa ontem e tmbm lembrei do seu, mas por causa das mangas! hahaha

    Achei seu vestido lindo, seu estilo! O da Fernanda, eu não gostei tanto por essa fendinha na frente e amarelo (bleeeerhg), mas amarelo tá super na moda!

    Coincidências acontecem mesmo!

  2. Rita,

    Sempre achei a FERNANDA parecida com você. As duas são magras, lindas, estilosas e me transmitem simpatia. Admiro a Fernanda e admiro você também.
    Quanto às roupas…seu vestido lindo de noiva lembra mesmo o do Yves Saint Laurent. Lembra e ponto final. Como você mesma disse a “roda” foi criada há muito tempo. Há quanto tempo a moda olha pra trás pra se reinventar? Anos 80, anos 70, 50 etc…Há muito tempo, né? Não estou dizendo que você se inspirou nele, acredito que foi coincidência…você tem muito bom gosto, mas dentro da indústria de moda existe cópia sim…algumas pessoas dentro dessa indústria acham que é mais fácil reproduzir, igualzinho, e vender algo que alguém fez antes e deu certo. É uma “segurança”. Eu discordo com essa visão, mas acontece. E há quem compre. E pra quem não gosta, e pode pagar, a opção é escolher marcas que não produzem peças em grandes quantidades ou optar por Brechós.
    Não ligue pra inveja, veneno essas coisas.
    Continue fazendo o seu trabalho do seu jeitinho, com suas referências culturais…siga em frente. Você já conquistou muita gente. E pra quem não gosta paciência, né?
    Ah! E poxa…coloca todas as peças disponíveis na loja virtual…eu quero comprar umas que vi no facebook, mas que não estão disponíveis lá. Beijos 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.