Penso Alto?

Programa Mosaico 23out07 10

Profissão? Costumo dizer que sou designer e não empresária. Ontem conversando com algumas pessoas do meio da moda aqui em Teresina, refleti muito sobre quem eu sou e o que eu quero. Fico feliz em saber que não abro mão de muitas convicções por conta do dinheiro. Não tenho a intenção de ser milionária com a moda. Não tenho sequer a intenção de ter uma loja gigante, uma marca reconhecida internacionalmente, que é o sonho de todo designer. Algumas pessoas até podem dizer que eu não penso “alto”. Mas o que é o alto para você? Uma vez por mês, quando estou na tensão (tpm) começo a pensar em mil coisas para conquistar mais e mais clientes, vender mais e mais peças e assim ter dinheiro para construir a loja dos meus sonhos, depois passa. Como professora, me vi ensinando aos meus alunos conhecimentos avançados de gestão e também de marketing, mas eu mesma não aplico 50% do que eu leio nos livros na minha empresa. Não sei ganhar dinheiro. E penso muito alto. Alto é o adjetivo da minha vida. Penso bem alto quando estou estudando pelo puro prazer de aprender. Não há segurança maior do que você ter conhecimento sobre o que fala. Penso bem alto quando nem lembro qual foi a margem de lucro daquela peça que deixa minha cliente se sentindo a mulher mais linda do mundo. Penso bem alto quando vejo tantas pessoas ao meu redor insatisfeitas com seus trabalhos e eu sempre querendo mais. Penso alto quando escrevo sinceros bilhetinhos à mão agradecendo a confiança e o carinho das clientes. Busquei ser professora por pura satisfação pessoal (e pensando muito alto!). Sinto um prazer imenso em dividir o que eu sei e mais ainda em aprender para ensinar. Mesmo que isso gaste o meu tempo mais do que qualquer oito horas por dia de dedicação ao atelier. Um amigo que também trabalha com moda ontem me perguntou: Vale à pena? Cada experiência desta minha balzaquiana vida valeu à pena, exatamente por que eu sempre pensei muito alto. Tenho desejos e objetivos que ainda não consegui realizar nesses sete anos como designer de moda, talvez por essa minha preocupação excessiva com várias coisas que não me dão um retorno imediato. Mas sou muito feliz em ter conseguido construir uma marca sozinha. Vivo um sonho que batalhei por ele e tenho muito mais a fazer. Serei eternamente grata às pessoas que acreditaram e me ajudaram a levantar esses alicerces. Acredite, já passei situações mil em que desistir era o caminho mais fácil. E o que me segurou foi pensar alto. Se fiel às minhas convicções sempre me levou além. E quem está lá no alto sempre me verá esperançosa e agradecida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.