por onde andei | recife

Olá! Gente, passei o final de semana passado em Recife, cidade que eu amo e onde mora meus sogros, minha cunhada e minha sobrinha. Cheguei na sexta às 9h da manhã, meu marido já estava me esperando e fomos tomar café na Casa dos Frios da Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem.

A Casa dos Frios é um empório bem tradicional de Recife. É minha parada obrigatória para o café da manhã, almoço ou lanche da tarde. Pedimos um expresso com leite, suco de laranja e um sanduíche de pão de provolone com molho de carpaccio, queijo do reino e salame. Yummy.

Fomos resolver umas coisas importantes e depois visitamos o apê de um amigo em construção. Foi uma aventura, viu? Marido não me avisou que teríamos que subir 25 andares num daqueles elevadores gaiolas, mas valeu a pena! A vista era incrível! Tanto para o lado da praia, quanto para o lado do mangue.

Almoçamos no Bar Chef do Shopping Rio Mar. O Bar Chef é outro empório/restaurante bem legal de Recife. A outra filial dele fica no bairro Casa Forte, um casarão lindo restaurado. Já fui algumas vezes e super recomendo.

Depois passamos um tempo no shopping, na verdade, mais matando a saudade e conversando do que prestando atenção nas coisas. Eu estava morrendo de saudades do meu marido. Ficar uma semana longe dele é um sofrimento!

À noite encontramos meu sogro e sogra e fomos jantar no Hot Spot que, embora estiloso, tinha uma comida bem normal, nada demais. Também havia opção de fondue, mas como estávamos com pressa, pedimos um prato normal.

No sábado acordamos cedo e fomos andar na praia. Depois almoçamos no Tio Pepe. Luíza (minha sobrinha) adora! Bem colorido, cheio de peças de artesanato. A comida estava ótima e o ambiente é bem diferente. Aqui nosso look do dia, no restô:

10731923_985525944845366_2068141991_n

À noite tivemos um jantarzinho romântico no ÇaVa Bistrô Moderne. Uma das melhores comidas de Recife na minha opinião. Esse restaurante fica numa rua cheia de restaurantes legais no bairro do Pina, chamada Capitão Ribelinho. Há tempos queria conhecer, mas nunca dava certo. A entrada estava tão perfeita que pedimos um prato para dividir e ainda sim ainda sobrou no prato!

No domingo acordamos beeem tarde e fomos almoçar do outro lado da cidade, no Villa Cozinha de Bistrô. Adorei o ambiente, com várias telas à venda. Pedi o que peço sempre que não sei o que pedir: linguine com camarão. Estava bom, normal, sem surpresas, mas eu também já estava meio que desmaiando de fome, então comi sem nem sentir o gosto.

De lá fomos para o lugar mais legal de Recife num dia de domingo: o Marco Zero. Depois da inauguração do complexo Armazéns do Porto o lugar tem outra cara! Estava lotado! Gente andando de skate, patins, bicicleta, turistas, famílias etc. A cada vez que venho está mais legal. Dei uma volta no Artesanato, mas não comprei nada. Estava atrás de umas esculturas de madeira para pôr na minha sala, de um artista local que amo muito, mas estava tão cheio que não consegui ver nada. Vai ficar para a próxima 😉

Depois de passearmos, tomamos um café no São Braz e à noite jantamos no Waynes. Uma hamburgueria com a temática cinema! Havia pesquisado sobre ela no Instagram e, realmente, é muito legal! Comi o sanduíche Kim (veja o vídeo) Estava delicioso!

Na segunda-feira amanhecemos na praia novamente! Em Boa Viagem mesmo por que dessa vez ficou muito corrido para uma praia mais longe. Almoçamos no Tapa de Cuadril, um restaurante de carnes, excelente, que tem a melhor salada caesar que eu já comi! À tarde fomos para o Shopping Rio Mar para comprar umas coisas de casa e as sandálias que usarei nas fotos da nova coleção.

Depois fui assistir o filme Magic Mike XXL. É muito bom! Ri muito! E fico feliz de ter feito isso, por que o filme nunca chegou no cinema de Teresina. Socorro! Sério, melhor assistir Magic Mike do que 50 Tons com as amigas, prometo! Depois do filme, encontrei Ricardo e minha sogra e como já tinha me entupido de pipoca, não consegui jantar. Mas acompanhei nas entradinhas maravilhosas do Pobre Juan. Yummy!

1438653875626

Na terça-feira de manhã voltamos para Teresina, mas como sempre, com saudade de Recife! Amo essa cidade, amo a felicidade do meu Amor quando está nela. Amo vivenciar outros lugares além de Teresina.

Grafitti e intervenções de Vhils.

Alexandre Farto, mais conhecido como Vhils, é um pintor e grafiteito português. Nasceu em Lisboa, em 1987, estudou na University of the Arts em Londres e é conhecido pelos seus rostos esculpidos em paredes e comboios.

Vhils.

Ele diz que o graffiti lhe deu a base para decidir o seu futuro profissional. Passou da lata de spray para o stencil e mais tarde explorou outras ferramentas e processos. Foi em Londres que começou a ser conhecido, e conseguiu que a sua street art de retratos anônimos em paredes danificadas ou fachadas de casas desocupadas lhe valessem o reconhecimento mundial.

Vhils já expôs no Cans Festival, evento organizado pelo  artista (incrível) Banksy em 2008 e na Lazarides Gallery, em Londres. Tem trabalhos espalhados em espaços públicos de várias cidades do mundo como Londres, Moscou, Nova Iorque e Los Angeles.

O artista desenvolve uma técnica onde escolhe rostos anônimos baseados em fotografias – ele gosta da ideia de dar rosto à cidade e dar poder a pessoas comuns. Para esculpir esses rostos, ele usa explosivos e martelos pneumáticos, junto com produtos de limpeza, ácidos corrosivos e café juntamente com os tradicionais sprays, stencils e tintas. Para Vhils, os conceitos de criação e destruição não são antagônicos, pelo contrário, são complementares.

A convite da editora holandesa Lebowski publicou o livro Vhils/Alexandre Farto Selected Works 2005-2010, uma compilação dos seus trabalhos em paredes e suportes como metal ou madeira. Vhils também foi escolhido para ser um dos protagonistas de um dos episódios da série Ones to Watch. A série destaca os “próximos grandes nomes na cultura e na arte”.

Para quem quiser ficar sabendo mais sobre ele, basta visitar seu site: alexandrefarto.com Lá você encontra todos seus trabalhos, vídeos de seus processos de criação, contatos e uma loja on line de Vhils. com alguns produtos.

No começo desse ano pude conhecer o trabalho dele pessoalmente. A fachada no bairro do Recife Antigo me chamou atenção. A imagem do rosto de uma professora da aldeia Araçaí, em Piraquara, no Paraná, que desenvolve um trabalho de educação com crianças indígenas, está gravada no edífício São Jorge, no bairro de Santo Antônio. Cravado no comércio do Cais de Santa Rita e na frente no Rio Capibaribe, a escultura traz uma parte das comunidades humanas para dentro do universo urbano do Centro do Recife.

Vhils em Recife.

 

A exposição Incisão – Alexandre Farto Aka VHILS em Recife ficou de 21 de novembro de 2014 a 25 de janeiro de 2015 no espaço maravilhoso da Caixa Cultural, no Marco Zero do Recife. Tirei algumas fotos!

Depois que o conheci fui procurar sobre ele na rede e encontrei dois vídeos que gostaria de compartilhar:

Gostaram de conhecer essa arte explosiva? Beijos!